Suicídio – Eu te desafio a ser o seu próprio salva vidas.

Suicídio – Eu te desafio a ser o seu próprio salva vidas.

A verdade é que nunca sabemos onde tudo vai nos levar, não sabemos o que tem lá na frente e o que nos espera. Fico pensando se já machuquei alguém e em quantas pessoas são machucadas todos os dias sendo verbalmente, fisicamente e virtualmente. Bom caro leitor hoje vamos entender um pouco mais sobre o universo do “suicídio ” significado- Sui (“de si mesmo”) e Caedere (“matar”), ou seja, matar-se a si mesmo. Pensei a semana toda no que falar, é um assunto tão duro e tão vivido atualmente e que já ocorre a anos, como Marilyn Monroe, Adolf Hitler, Heath Ledger são alguns famosos da história que se suicidaram. O que os levaram a fazerem isso? Eu sei! Mas vou tentar explicar de um modo que você caro leitor entenda.

Para entendemos melhor precisamos entrar na mente humana, imaginando o que leva uma pessoa a realizar tal ato, vamos levantar duas questões dentro desse tema, a depressão e a solidão.

Por muito tempo caminhei ao lado da solidão fomos amigos de verdade, ela me desgastava me fazia chorar, mas ela sempre estava lá, não foi fácil me despedir, mas de certa forma me senti aliviado, a solidão se libertou, ela saiu da minha alma. Somos amigos ainda, mas ela agora está livre, às vezes quando preciso de um conforto ela me abraça. Mas a diferença é que agora, ela sabe que o lugar dela não é dentro do meu ser e sim, ao lado, de todas as emoções que me completam.

A solidão ela faz parte do nosso sentido, não tem como fugir, faz parte da alma humana, alguns sentem com mais intensidade, outros um pouco menos. A diferença é que ela por muitas vezes te domina de um jeito que você não consegue lidar com tal situação, por muitas vezes escolhendo o caminha mais fácil que é desistir de tudo e matar a si mesmo por simplesmente não aguentar mais o seu peso. O lidar consigo é complicado, olhar pra si e entender onde está a dor, machuca mais ainda, mas pode acreditar que a cura por mais que seja o caminho mais difícil, é libertador.

Como assim LIBERTADOR? Quando você entende que pode controlar essa solidão e coloca-la  em seu devido lugar, seu peso não será tão grande assim. Entenda que sua mente tem o poder de mudar qualquer coisa, ela é sua arma mais poderosa, dentro de nós existe a razão e a emoção se ambas trabalharem juntas, todos os sentidos serão de certa forma controlados. Quando entendemos que a SOLIDÃO é se sentir só, precisamos buscar na nossa razão, a busca pelas alternativas de mudança. Por exemplo: O que pode me preencher; preciso de amigos? Sinto falta da minha família? e tentar encontrar meios de preencher esse vazio, sem que esse sentido de domine por completo até te levar a ações ou vontades obscuras.

Hoje o sino não tocou, a alma se derramou de um jeito que dói, as lágrimas saiu como um rio, acho que meu coração rachou. Tudo dói, meu corpo dói, cansei dessa alma pesada que me leva pro fundo do profundo e me deixa assim, sem querer sair dessa cama vazia, de um quarto escuro, com cobertas sujas e um estilete no pulso. Quando dói aqui eu fico e me corto aos pouquinhos, enquanto vejo o vermelho caindo, aquilo me alivia, por fora levo as marcas e por dentro me chamo depressão.

Na vida temos decepções, crescemos achando que a vida é feita dos contos de fadas, mas ao crescer percebemos que evoluir diante da sociedade não é tão fácil assim, não é perfeito, machuca, decepções, enganações, frustração, perdas, angustia ansiedade, são algumas tijoladas que levamos ao conhecer o verdadeiro sentido de viver.

A depressão existe e as vezes começa com uma simples ferida, que é tocada, a satisfação de cortar os pulsos porque a dor da sua alma está maior do que a dor física, é real, não podemos simplesmente fechar os olhos para isso, acontece em todas as partes, pessoas incríveis, as vezes sorrindo e quando que por fora não tem nenhum indicio, colocando em pleno o calor uma blusa cumprida para disfarçar as marcas, por dentro sente-se corroído, destruído e sem saída.

Saída fácil não existe. O que precisamos entender é que nem sempre as pessoas vão nos salvar, ou seja, quando estiver numa cama chorando nem sempre vai ter alguém lá. Precisamos aprender a lidar com o nosso próprio interior, ser o nosso próprio salva vidas, sem depender do outro para curar as nossas próprias feridas. Porque na realidade ninguém é obrigado a isso, deveríamos sim, ter o dever de nos ajudarmos, mas a vida real nem sempre é assim. Aprenda a controlar suas emoções, colocando em sua mente que ao cortar seus pulsos estará machucando o seu corpo, ao ficar na cama sua vida vai paralisar e ao desistir de você, se escolher simplesmente cortar a sua veia e morrer , quando morto não vai conseguir mudar a sua dor, porém vivo você pode transformar a sua realidade.

Se está dentro desse poço agora, imagina uma corda onde pode subir e escalar até a saída, depois disso, vá embora porque o mundo precisa de você e nunca mais volte pra lá.

A baixo vou contar histórias verídicas, de pessoas que passaram pela minha vida:

Não Julgue a Dor das Pessoas

No colégio, começo de ano, sempre entra algum aluno novo, sempre tem aquelas meninas que fazem a mesma pergunta ” será que vai entrar algum gatinho? ” ou ” nossa olha aquela menina que feia ” frases típicas de adolescente e como todo começo de aula, demorei um pouco para me adaptar. Fiz amizade com uma menina mais nova, não era dá minha sala , mas gostava de conversar as vezes com ela. Nome, Gabriela, alta, morena e bem magra. Era uma pessoa que não se abria, mas sempre andava com um sorriso no rosto. Antes de tocar o sinal eu subia para ir ao banheiro, quando eu entrei, me deparei com ela e uma navalha na mão, seus braços cheios de sangue, ficou estagnado, mas eu via que a sua alma gritava “socorro” foi onde eu peguei a navalha de sua mão, ajudei a limpar tudo, ela colocou a blusa e naquele dia eu a abracei . Sabe o que ela mais precisava? Um abraço, uma ajuda e ouvir “você é importante, fique”.


No ano seguinte mudei de colégio, fiz várias amizades, sempre fui o tipo de pessoa que se dá bem com qualquer um, então conheci Miguel, branco, baixo, cabelos escuros e bem humorado. Nos tornamos amigos, até que um dia recebi um telefonema onde ele queria se abrir contando seu passado. Aos 14 anos ele tinha dificuldades para fazer amigos, comia no banheiro e sempre que alguém passava rindo, ele sentia que era com ele, chorava todas as noites querendo que tudo aquilo acabasse, então foi onde tentou se matar, ia tirar a própria vida, seus braços já estavam cortados sentou na janela e teve vários pensamentos naquela hora, mas ao pensar em o quanto sua mãe iria sofrer ,mudou de ideia e no ano seguinte saiu daquele colégio ,fazendo assim novos amigos. Quem diria que uns dos mais conhecidos do colégio teriam sofrido em seu passado. Mas o que ele precisa era de um “amigo” e ouvir “você é importante, fique”.

Sabe aquele amigo de família que todos conhecem, que todo mundo recebe de braços abertos, esse é o Heitor , um conhecido meu, ele amava tomar o café da minha avó, ia na igreja e estava prestes a se casar ,mas tinha um outro lado que ninguém sabia , estava cheio de contas para pagar ,sobrecarregado, sentia um fardo em suas costas e não estava aguentando mais. Resolveu tirar a própria vida, escreveu uma carta, subiu na máquina de lavar, colocou uma corda em seu pescoço e se matou… Todos choramos, mas o que ele precisava era de uma “ajuda financeira” e ouvir “você é importante, fique”.

Em julho de 2017, surgiu um jogo chamado Baleia Azul, que fez o suicídio virar um jogo mundial, levando vários jovens a morte. Talvez eu saiba como eles se sentiam naquele momento ,talvez eles já estivessem mortos ,só queria sentir o viver , realizando cada etapa do jogo era como passar de fase e se sentir importante ,mas o final do jogo, digo a última etapa para a vitória, era tirar a própria vida. A partir desse jogo foram criados cartazes, séries de programas de tv, para alertar os pais a ficarem cientes. Um desses seriados foi lançado no Netflix ‘’Treze porquês’’ uma série onde conta a história de uma garota que se suicidou, onde seus colegas ficam perturbados pois percebe que ela buscou ajuda, mas todos colocava ela no fundo do poço até cair de vez.

 Apontar o dedo falando que eles são culpados é fácil, mas e todo mundo que fez eles caírem no fundo do poço? Onde estavam quando eles gritaram, ‘’socorro’’ ‘’me ajudem’ ’Olha eu aqui’’!

As vezes o que todos precisam é de um pouco dá sua atenção, do seu abraço, sua amizade e ouvir ” Você é importante não vá, fique “.

Diga a si mesmo hoje: EU SOU IMPORTANTE E ESCOLHO FICAR! Pois só você pode mudar a sua realidade, eu te desafio a ser o seu próprio salva vidas.

Salva vidas

um labirinto logo

Um Labirinto

Explore e inscreva-se para receber nossas novidades

Deixe uma resposta

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.